sábado, 25 de outubro de 2014

Ser como o Mestre

Um menino, numa pequena cidade da Itália, lascava madeira; seu nome era Antonio. Um dia, ele e seus coleguinhas estavam na rua, pedindo dinheiro por aquilo que faziam: um tocava violino, outro cantava e Antonio talhava pequenos objetos de madeira. Parou um homem, distinto, para ouvir os meninos tocar e cantar; depois, deu uma moeda de ouro para eles. Claro que ficaram felizes e gritavam: “O grande Amati, maior construtor de violinos da Itália, deu-nos uma moeda de ouro!”
Antonio quis conhecer mais de perto o construtor de violinos e, como era um menino resoluto, venceu as barreiras que lhe eram impostas e chegou à presença de Amati. Disse-lhe: “Não sei tocar violino, mas gosto de música e imagino que seria capaz de construir violinos. Veja aqui alguns objetos de madeira que fiz com a minha faca”. O homem passou seu olhar atento dos objetos para a face ansiosa e os expressivos olhos castanhos de Antonio e disse: “Venha à minha oficina e lhe darei uma oportunidade para aprender a se tornar um construtor de violinos”. Qual é seu nome? “Antonio Stradivárius”, respondeu o menino. Assim Antonio tornou-se aluno de Amati e trabalhou dia após dia na sua oficina.
Uma das primeiras coisas que seu professor lhe ensinou foi que a paciência para fazer, com perfeição uma peça, ainda que pequenina, tinha mais valor do que a construção de um violino todo em pouco tempo. Alguns anos se passaram e Antonio, já sendo um construtor de violinos, aperfeiçoou tanto o som e a beleza do violino que ele se tornou o melhor construtor de violinos de todo o mundo.


Para nós fica a lição: Sem trabalho não se chega ao descanso, sem peleja não se consegue a vitória. Ser como o Mestre exige paciência, disciplina e dedicação total!
desconheço o autor

2 comentários:

✿ chica disse...

Nunca conseguiremos ser como o Mestre, mas podemos ir e seguir seus caminhos melhores! bjs, lindo fds! chica

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Amiga.
Vamos sim , sempre nos espelhar em Jesus. Ele é o caminho a verdade e a vida. Um lindo exemplo no seu texto, a paciência é uma grande virtude. Amei a sua participação, ainda ganhei uma diga de um sapato confortável vou experimentar rsrs. Ate já olhei alguns modelos pela net, meus pés tem dias que incha e me incomoda demais, quanto mais conforto para eles melhor rsrs.
Um lindo domingo.
Beijos.