terça-feira, 4 de junho de 2013

Justiça e dignidade

Em cada dia, no meio dos fatos e acontecimentos que nos cercam, é que construímos o Reino de Deus. E, em todos os casos, requer-se amor, paciência e serenidade. E, por isso, Jesus sabe distinguir entre o que é de Deus e o que é fruto das decisões humanas. Pagar imposto é dever de cidadania, mas ele é justo quando se volta para o benefício do bem comum. Jesus não aprova quando o povo é manipulado, quando é transformado em objeto.
Interrogado sobre uma questão política, a do imposto pago a César, a resposta de Jesus “dê a Deus o que é de Deus, e a César o que é de César” quer mostrar que há um domínio que supera todo domínio: o de Deus. Se a moeda tem a imagem de César e pertence a César, o ser humano é imagem de Deus e pertence a Deus. O tributo que os homens devem pagar a Deus é o amor sobre todas as coisas, de todo o coração, com todas as forças e o amor ao próximo como a si mesmo. O poder de Deus é feito de amor, humildade e serviço; Jesus é humildade, está a serviço e é amor. 
Pratiquemos a justiça e vivamos com dignidade!
(Pe. Ferdinando Mancílio)
 
Seleção de Salmos
click e leia

2 comentários:

Imaculada disse...

Tetê querida!
Linda e edificante mensagem!
Estou aqui a medita-la.
Obrigada pela partilha!
Abraços! Boa noite e um amanhecer abençoado e feliz pra ti.

✿ chica disse...

Tanto uma quanto a outra se completam. Precisamos das duas.beijos,chica