domingo, 10 de novembro de 2013

O que temos feito?

A criação do grupo dos doze apóstolos é obra poderosa de Jesus na qual Ele se completou e encontrou repouso em Seu trabalho. Os Doze tinham a função de tornar sempre atual a Palavra do Senhor, transmitindo-a de modo normativo à Igreja que se fundou sobre seu insubstituível e ineliminável testemunho ocular.
A nossa missão, como a dos Doze, brota da fonte que é Deus e da intimidade com Deus, que nos chama e envia. A missão vem do Alto, mas se desenrola aqui em baixo, nos lugares e tempos do mundo, no dia a dia da vida.
Doze são poucos, mas foram o começo de muitos; a vocação dos Doze nasceu da noite de oração de Jesus sobre a montanha (Lc 6,12-19). A Igreja tem nos Doze a sua semente, o seu núcleo inicial; nasce da comunhão com o Pai que avança noite adentro, quer dizer, nasce daquela obediência e daquele amor ao Pai que não recua diante da morte, simbolizada na noite.
A vocação dos Doze é o chamado à comunhão, que é o objetivo de todo cristão. Nós, o que faríamos no lugar dos Doze? O que fazemos para continuar a missão dos Doze?  O que estamos fazendo com a nossa missão?
Pe. Antonio José de Almeida

Um comentário:

✿ chica disse...

Interessante de ler e pra pensar. Acredito que não só nós temos que pensar,mas muitos padres que podem, com suas palavras nas missas, colocar todos os que tem vontade, a correr. Nunca mais fui na igreja por isso! Prefiro entrar lá no silêncio, quando me dá vontade, pois detesto ouvir misturas de grana com bíblia e a última foi de doer!!! beijos,chica