sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Nosso coração reconhece a verdade...

Quantas vezes nos sentimos envergonhados diante de uma situação e logo nos afastamos, nos convencendo de que não nos diz respeito... O mal da omissão é grave, pois não apenas afasta a ação do bem, mas a nega e a impede; junto à nossa omissão vem a decisão pelo mais fácil. Não é apenas difícil deixar nossa zona de conforto, é até mesmo doloroso, mas necessário. Ouvir Deus falando e cerrar os ouvidos é como não valorizar um imenso tesouro encontrado só porque é necessário cavar para retirá-lo.
O que fazemos ante a voz de Deus que ressoa na realidade, no grito de justiça de tantos oprimidos, de tantos marginalizados? O que podemos de fato fazer? Encontrar respostas para essas perguntas é tão necessário quanto urgente; é a nossa própria vida que está em jogo. E quão mais fácil é simplesmente calar...
Não podemos simplesmente calar, pois calar é gritar que Deus não se importa; é esbravejar mentiras, pois nosso proceder testemunha nossa fé; é proclamar que, para o cristão, “tanto faz”. Ficar na simples indagação também não resolve. Nossa fé é testemunho, é caridade, é misericórdia... Não nos prendamos ao medo; não nos entreguemos à omissão. Não sucumbamos ao aparente mais fácil.


Pai ajude-me a fazer de minha vida testemunho, a ajudar quem precisa, a assumir projetos bons. Que eu não tenha medo nem me falte a força necessária para viver Vosso amor e o levar a todos. Amém!
Clauzemir Makximovitz

2 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Quem realmente faz (claro, que pela Graça) é perseguido e abandonado como o Mestre... por isso, uns escapam pela tangente com medo disso...
Bjm fraterno

✿ chica disse...

Muito lindo e gostei da oração ao final! bjs,chica