terça-feira, 24 de julho de 2012

A família de Jesus

A mãe e os irmãos de Jesus foram procurá-lo (Evangelho de hoje), pensando que tivesse enlouquecido. O contraste era evidente: nos pacatos tempos de Nazaré, a presença de Jesus era bem aceita, tinha se mostrado bom menino, obediente, fiel aprendiz de carpinteiro... tudo dentro da normalidade. Jesus não tinha trazido nenhum problema para a família. Depois do batismo de João, já não se mostrava mais o mesmo. Eles queriam resgatar para Nazaré o desnorteado Jesus... Como aprisionar na gaiola estreita da família humana o jovem profeta que o Espírito impulsionava para rumos descontrolados?
Cristo declara que Sua verdadeira família é a daqueles que, escutando Sua Palavra, a acolhem e a praticam. Jesus mostra-nos que a Palavra nos une em comunhão, fazendo-nos familia do Reino. É isso que Jesus está a nos ensinar.
Jesus não tinha perdido a cabeça, nem tinha esquecido Sua mãe e irmãos. Ao contrário, valorizava esta experiência e a ampliava para toda a humanidade. Sua utopia de jovem profeta era a fraternidade universal, iluminada pela ternura de Maria e pela solidariedade dos Seus irmãos e irmãs.
- Dom Luís Demetrio Valentini -

Um comentário:

Suzuki disse...

Olá! Feliz de ver seu comentário lá no blog! Gosto de tê-la entre meus amigos! Atualizei... Dá um pulinho lá! Beijos Suzuki