quarta-feira, 10 de julho de 2013

Sacando no banco do céu

Outra noite eu estava dirigindo de volta para casa, depois de um dia pesado de trabalho. Sentia-me cansado e bastante deprimido, quando, de súbito e como um raio, veio-me a mente aquele versículo de 2Cor 12,9: “A minha graça te basta”. Em voz alta eu disse: “É claro que basta, Senhor!”
Era como se um peixinho, sentindo muita sede, tivesse medo de esgotar a água do rio, se bebesse, e o Amazonas lhe dissesse: “Pode beber peixinho, minhas águas te bastam”. Ou, como se depois dos sete anos de fartura um ratinho ficasse com medo de morrer de fome e José lhe dissesse: “Ânimo ratinho, meus celeiros te bastam!” Depois imaginei um homem nas alturas de uma soberba montanha, dizendo a si mesmo: “Eu aspiro tanto ar, receio esgotar o oxigênio da atmosfera”, e a Terra dissesse: “Pode aspirar à vontade, homem, e encher os pulmões; meu oxigênio te basta!”
Sejamos crentes que crêem! Pouca fé bastará para levar-nos ao céu, mas uma grande fé trará o céu até nós... A maior necessidade encontra em Cristo o suprimento; a maior indagação, a resposta; a maior lacuna, preenchimento; o maior vazio, a plenitude de satisfação; a miséria maior encontra em Cristo a graça!
Há sempre um grande saldo em nosso crédito no banco do céu, esperando os nossos saques de fé. Tire bastante dos recursos de Deus! (Lettie Cowman)
 
Aprendendo
click e leia

2 comentários:

✿ chica disse...

Esse é o banco que podemos confiar plenamente! beijos,tudo de bom,chica

Maria Luiza disse...

Muito bom saber que há créditos no banco de Deus e que posso tirar recursos dele, o quanto eu quiser!Adorei, Tetê! Não postei porque achei que fosse vc. Entendi mal e pasei mal de verdade com séria alergia e pressão a 24. Grande abraço!