domingo, 22 de setembro de 2013

A quem servimos?

Não podeis servir a Deus e ao dinheiro (Lc 16,13c).

Não dá para separar relação com Deus, relação com os outros e relação com os bens materiais. Como ser filho de Deus e não ser irmão dos outros? Como ser irmão dos outros e não ser solidário com suas necessidades? Como colocar nossos bens a serviço da vida e da liberdade de todos, principalmente dos pobres e marginalizados? Não é possível servir a Deus e ao dinheiro?
O assunto dinheiro frequenta o Evangelho mais do que à primeira vista possa parecer. Desde o dinheiro abençoado da esmola da viúva, até o dinheiro da traição de Judas, passando pelo dinheiro que Jesus pediu que Pedro encontrasse na boca do peixe para Ele pagar seu imposto.
O dinheiro faz parte da vida e deve estar a serviço da vida. Do momento em que ele perde esta finalidade, torna-se um instrumento de múltiplas perversões e acaba sendo perigoso. Em si mesmo não é condenado pelo Evangelho, mas Cristo adverte o perigo de usar mal o dinheiro.
O Evangelho não quer que todos vivam na miséria... ninguém vive neste mundo sem dinheiro. O que precisamos é ser mais solidários, menos apegados às coisas, mais disponíveis para partilhar com os outros o que temos buscar a promoção humana. Jesus não condena a riqueza e, sim, o mau uso que se faz dela. (Dom Luís Demétrio Valentini)   

2 comentários:

✿ chica disse...

Solidariedade, desapego podem nos levar mais longe...Linda mensagem! beijos,chica

Alfa & Ômega disse...

Eu queria ter o suficiente para viver com folga e estar tranquila, mas idolatrar dinheiro, nem pensar! Eu tenho sim respeito com aquilo que ganho! Tetê, não é hoje a roda da Poesia da Rosélia! Eu não vejo nada!!! Beijos!