quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Pequenas grandes coisas

O retorno de Cristo era uma esperança viva na Igreja primitiva, como, aliás, deveria ser na Igreja atual. O problema, no entanto, era o seguinte: muitos cristãos, vivendo nessa ardente expectativa, acabavam por abandonar ou, pelo menos, relaxar no seu dia a dia; ninguém sabia o dia e a hora que o Senhor viria. Mas, então, o que fazer nesse lapso de tempo entre a conversão e a vinda do Senhor? Para muitos, o trabalho comum, nada valorizado pela cultura aristocrática de gregos e romanos, tornava-se ainda mais desprezível perante as grandes coisas em vias de acontecer.
Muita gente sonha em fazer uma coisa extraordinária; cuidar de um filho, trabalhar pelo sustento da família fazendo normalmente trabalhos humildes não tem glória nenhuma... Se o mundo, pois, vai acabar, subamos os montes e vamos, de braços cruzados, aguardar a Cristo em Sua volta; isso sim, seria grande, seria espiritual. Paulo esclarece que essas pequenas coisas constituíam a essência de uma vida cristã normal.
São as coisas pequenas e úteis que agradam a Deus e não aquelas que nós mesmos consideramos grandes. Deus nos preparou para obras de amor e, as obras de amor são aquelas que beneficiam o nosso próximo: o bem que fazemos, o trabalho que realizamos, coisas na verdade se, glamour, mas com muita substância de amor.
Martinho Lutero Hoffmann

2 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Gosto muito da passagem que fala sobre iluminar o mundo (a lâmpada)...
Eu, sinceramente, não queria ficar no pico NUNCA.... mas não tenho direito de escolher o que ELE deseja pra mim...
Atualmente, MUITO feliz onde ELE me destina... e as coisas que me põe a fazer...
DEUS seja louvado!!!
Convém que ELE cresça e que eu desapareça!!!
Bjm fraterno

✿ chica disse...

Tuas mensagems são sempre lindas e bem escolhidas!Gosto muito! bjs ainda praianos,chica