quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

A semente é boa; e o terreno?

Mc 4, 1-20 narra a parábola do semeador que nos fala das reações negativas que acontecem dentro de nós quando ouvimos o Evangelho. A semente que frutifica através das dificuldades, além de falar da vida de Jesus, fala da crise e da morte que a Palavra provoca em nós ou, ao menos, pretende provocar. Diante disso, precisamos desmascarar tudo aquilo que, em nós, faz de tudo para impedir a germinação, o enraizamento, o crescimento, a frutificação da Palavra em nós.
A semente encontra três obstáculos: o bom senso, que, nos atrelando aos interesses materiais, nos fecha para todos os outros bens; nossa fragilidade, que gera a desconfiança, pois achamos que não vamos ser capazes de produzir nada que preste; o prazer, que confundimos com a alegria ou, pior ainda, com a felicidade, e acaba nos anestesiando e impedindo todo o crescimento.
A Palavra, porém, da mesma forma que provoca e encontra em nós esses três obstáculos, também as enfrenta e as supera, por meio da fé, da esperança e do amor: a fé vence a mentira, que nos leva a achar a Palavra uma coisa estranha; a esperança, faz a Palavra se enraizar em nosso coração, forrando de verde o sertão desesperançado; o amor, nos leva a vivê-la, eliminando as idolatrias que matam a Palavra.

A Palavra é semente boa que cai no coração da gente; o fruto maduro da Palavra, quando superamos os obstáculos, é a vida que brota da fé e da caridade, o único terreno bom para acolher a semente divina do Reino. Como é o seu coração? Duro como beira de estrada? Raso como terreno pedregoso? Incerto como sombra de espinheiro? Fundo e fecundo como terra bem arada?
Pe. Antonio José de Almeida

Um comentário:

✿ chica disse...

Que maravilho trouxeste,Tetê!Faz bem pensar!! bjs praianos,chica