sábado, 22 de fevereiro de 2014

O Bom Pastor

Jesus se apresenta como o Bom Pastor, aquele que conhece as ovelhas e aquele a quem as ovelhas reconhecem. As ovelhas reconheciam o pastor pela familiaridade; ele andava com elas, dormia próximo a elas quando distante de casa, as protegia de qualquer perigo, às vezes se arriscando para isso. E essa familiaridade, este estar junto e cuidar, é o modelo de pastoreio espiritual também. O sentimento que deve imperar é a doação de si, a entrega livre antes de qualquer outra coisa.
Apascentai o rebanho de Deus que vos é confiado; cuidai dele, não obrigados, mas de boa vontade segundo Deus; não por lucro sórdido, mas com prontidão de ânimo(1Pd 5,2): esse convite de Jesus é para cada “ovelha”, que, em comunidade, precisa se sentir responsável não apenas por si mesmo, mas pelos irmãos. Cada um responde a uma vocação, desempenha um papel na comunidade, na família dos filhos de Deus, mas o comprometimento, a exigência de doação, isso é comum a todos.
Continuemos caminhando como família unida, responsáveis uns pelos outros, com amor fraterno.
Clauzemir Makximovitz

3 comentários:

✿ chica disse...

Ele é um ótimo Pastor! Fiquemos perto dele! bjs,chica

Maria Luiza disse...

“Apascentai o rebanho de Deus que vos é confiado; cuidai dele, não obrigados, mas de boa vontade segundo Deus; não por lucro sórdido, mas com prontidão de ânimo” (1Pd 5,2) Isso é bárbaro! Tenho um amor exagerado pela passagem do bom pastor. Fiquemos com esse ensinamento! Beijos, querida!

Marili Alves disse...

Linda reflexão...paz e bem!
Saudades desse cantinho