segunda-feira, 10 de março de 2014

Comunhão e partilha

Nas primeiras comunidades cristãs a fé foi suscitada e a vida transformada e, onde entra a fé, a vida já não é mais a mesma. Pelo sopro e a força do Espírito Santo, Deus realiza a Sua vontade naqueles que se deixam mover e pela fé. O caminho é sempre o de Jesus; a força santificadora é a do Espírito Santo; o convite é o de Deus Pai e, assim, mergulhados na Santíssima Trindade - Pai, Filho e Espírito Santo - somos chamados a viver em comunhão, em comunidade, numa constante partilha; isto deve se concretizar em nossas famílias, nas comunidades e na sociedade.
O Senhor vem ao nosso encontro para nos libertar das amarras que nós mesmos pusemos sobre nós. A liberdade está no amor que devolve a vida aos mais fragilizados de nossa sociedade. O que dizer de um país que tem recorde de colheita de alimento, se nele encontramos crianças subnutridas? Por que o pobre que plantou, colheu e amassou o pão, não é chamado à mesa?

Não há Eucaristia verdadeira nem jejum autêntico se ao meu lado há irmãos passando fome... O juízo de Deus sobre o mundo será sobre as atitudes de amor! Qual tem sido minha atitude diante da dor do outro? 
Frei Nilo Agostini

Um comentário:

✿ chica disse...

Lindos e fortes questionamentos nessa reflexão! beijos,ótima semana,chica