domingo, 27 de abril de 2014

E você, crê?

Os relatos pós-pascais dos evangelhos insistem na dificuldade dos discípulos em acreditar que Jesus havia ressuscitado. Não bastava mostrar o túmulo vazio; Maria madalena vai procurar o corpo em outro lugar, porque o cadáver poderia ter sido roubado. Pedro e o discípulo amado viram o túmulo vazio, mas apenas este último “viu e creu”. Crer o testemunho de outras pessoas também não era fácil; a fé na ressurreição de Cristo se torna mais firme quando é vivida em grupo e a presença do Ressuscitado é experimentada na comunidade reunida. Quando Jesus aparece aos discípulos, saúda-os e mostra-lhes as chagas para provar que é o mesmo que fora crucificado, os discípulos O reconhecem e se enchem de alegria.
Na tarde do primeiro dia da semana, porém, Tomé não estava presente; quando os companheiros lhe contam a aparição do Ressuscitado ele se nega a acreditar. Haveria de acreditar somente quando pudesse tocar as chagas de Jesus. É a dificuldade de fé da segunda geração cristã, que devia crer no testemunho dos que viram o Senhor. Oito dias depois, Jesus novamente aparece aos discípulos e pede para Tomé tocar-lhe as chagas, e Tomé se prostra diante de Jesus, dizendo: “Meu Senhor e meu Deus”. Jesus, então, proclama bem-aventurados aqueles que “não viram e creram”!

A fé na ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo é a nossa força. Que possamos viver sempre na presença do Ressuscitado e anunciarmos esta fé a todas as pessoas para as quais somos enviados.
Frei Ludovico Garmus

2 comentários:

✿ chica disse...

Crer é fundamental, com a fé vamos mais longe! beijos,linda semana,chica

Maria Luiza disse...

Que lindo escreve esse frei, Tetê, fiquei apaixonada e apaixonada também lá no Pentecostes! Parabéns, querida, que sua semana seja plena em amor, confiança e fé! Beijos!