sábado, 23 de novembro de 2013

A paz de Jesus

Assim como Jesus teve que atravessar as águas e o fogo para cumprir o amor do Pai, o discípulo deve passar pela água e pelo fogo da decisão, optando com determinação por Jesus. O presente é o tempo da conversão; a conversão é o verdadeiro discernimento. Tendo como referencial a conversão, os seres humanos se dividem em duas categorias: de um lado, os que se acham justos e, por isso, não têm necessidade de salvação e não se convertem; do outro, os pobres pecadores, que sabem que sozinhos não podem chegar a lugar nenhum e, por isso, se convertem ao dom de Deus.
O julgamento definitivo de Deus é o dom do Seu Espírito; marca o início dos últimos tempos em que somos chamados à conversão e à vida nova no batismo. O fogo é o fogo de Pentecostes, fogo que nenhuma água pode extinguir, é o amor de Deus por nós, que se revela e brota da morte do Filho.
A paz que Jesus veio nos trazer passa pela divisão, pela escolha, pelo discernimento; não é uma paz qualquer... ela custou o caro preço da vida doada de Jesus; paz que renova todas as coisas. Essa divisão é a decisão que o seguimento de Jesus e o compromisso com o Reino exigem. Essa decisão comporta cortes e lacerações profundas, rasgando, muitas vezes, o que nos é mais caro, como as relações familiares. É o preço da liberdade e da vida nova.
Pe. Antonio José de Almeida

Um comentário:

✿ chica disse...

E como precisamos de PAZ! Cada vez mais aparecem coisas que nos tiram dela e a temos que recuperar! bjs
chica